Não só como no empreendedorismo, a vida é um processo contínuo de avaliar os acontecimentos, receber conselhos, analisar o que “fica e o que vai” e buscar motivação quando nada parece estar certo na sua vida. Nessas horas é importante pensar em pessoas que passaram por situações semelhantes as nossas, não necessariamente iguais, mas que passaram por cima dos seus obstáculos e obtiveram sucesso.

Nesses momentos, é interessante se iterar da trajetória de pessoas de sucesso, como Steve Jobs.

Início difícil

Jobs foi colocado para adoção por sua mãe que iria voltar para seu país, foi adotado por um casal de operários e com nenhuma formação universitária. Os primeiros anos da vida de Steve Jobs poderia indicar um futuro nada promissor, seguindo os julgamentos do senso comum.

Indo contra todas as variáveis, surgiram a Apple e a Pixar. Jobs sempre lutou para consolidar suas empresas no topo e durante seus anos de vida adulta, mudou as bases do mundo da tecnologia e do mercado do cinema de animação.

 

Mas como é possível uma pessoa sem perspectiva alguma se tornar um dos maiores visionários dos últimos anos?

Jobs sempre foi apontado como um chefe1000509261001_1822941199001_BIO-Biography-31-Innovators-Steve-Jobs-115958-SF muito duro, mas sua perda foi algo que refletiu nos produtos subsequentes da Apple. Anos antes do seu falecimento, Jobs em um discurso durante a formatura da turma de 2005 da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, deu diversos conselhos ao presentes no evento. Ele destaca que podem ser seguidos por todos os profissionais que estão começando sua carreira profissional ou para aqueles que buscam recomeçar sua carreira.

Confira quais foram os principais conselhos de Steve Jobs para os formandos de 2005:

 

Siga sua intuição, independe do que parece certo para os outros.

Jobs não via muito sentido no fato dos pais investirem todas as economias em uma formação que ele mesmo não sabia se teria muita utilidade, então ele cursou apenas um semestre da graduação no Reed College, no ano de 1976.

Jobs permaneceu mais três semestres na faculdade, cursando apenas as disciplinas que, para ele, pareciam realmente interessante aos seus olhos. Ele obedeceu sua curiosidade e intuição.

Posteriormente, Jobs começou assistir aulas no curso de caligrafia. Algo que na época ele não via como “prático” em sua vida, até que 10 anos depois esses conhecimentos foram cruciais para revolucionar a tipografia em computadores, com o surgimento do Macintosh.

“Se eu nunca tivesse entrado naquele simples curso na faculdade, o Mac nunca teria múltiplos tamanhos de letras ou fontes proporcionalmente espaçadas. E já que o Windows copiou o Mac, é provável que nenhum computador pessoal as teria”.

 

Acredite com todas as suas forças de que tudo fará sentido no futuro.

Seguir sua intuição era uma marca registrada de Jobs. Quando deixou a universidade, ele não tinha a mínima noção de como seu destino iria se desenrolar. Portanto, decidiu apenas confiar que tudo ia acabar dando certo.

Steve Jobs largou a faculdade e, inexplicavelmente, frequentou aulas de caligrafia. Caso isso não tivesse acontecido, não teria mudado os conceitos de tipografia em computadores pessoais.

“Você não pode conectar os pontos olhando para frente, você apenas pode conectá-los olhando para trás. Então, você precisa acreditar que os pontos, de alguma maneira, irão se conectar no futuro.”

 

Nunca perca sua fé. Recomeçar, as vezes, é preciso.

Demitido de sua própria empresa em 1985, um ano após lançar seu maior produto, o Macintosh, e com quase uma década de sociedade com Steve Wozniak, por brigas com o CEO da época.

“O que tinha sido o foco de toda a minha vida adulta se fora, e isso foi devastador.”

Ele diz em seu discurso que ele foi percebendo o lado bom dessa espécie de fracasso pessoal.

“O peso de ser bem sucedido foi substituído pela leveza de ser um iniciante novamente. Isso me libertou para entrar em um dos períodos mais criativos da minha vida”.

Nessa nova fase de sua vida conheceu sua esposa, fundou a Pixar e a NeXt. Casou-se, a Pixar lançou um sucesso no mundo da animação, Toy Story , e a NeXt foi comprada pela Apple, fazendo com que ele retornasse a Apple pela porta da frente.

“Tenho certeza de que nada disso teria acontecido se eu não tivesse sido demitido da Apple. Foi um remédio de gosto ruim, mas eu acredito que o paciente precisava dele. Algumas vezes, a vida bate com um tijolo na sua cabeça. Não perca a fé”.

 

Trabalhe com aquilo que você ama, tenha paixão pelo que você faz.

No seu discurso, Jobs afirma a única coisa que o fazia levantar de manhã, apesar das circunstância, e trabalhar com toda sua vontade era a paixão pelo que fazia.

“Você precisa encontrar o que você ama”.

Segundo ele, seu trabalho irá ocupar uma boa parte dos seus dias, e a única de se sentir satisfeito com o que você faz da vida, é fazendo um bom trabalho. E o único meio para isso, é amando o que você faz.

“Como todo relacionamento, ele se tornará melhor e melhor conforme os anos forem passando. Então, continue procurando até você encontrar. Não sossegue”

 

Nunca se esqueça que a única certeza que nós temos é a morte.

Para ele, a morte deveria ser encarada como uma certeza para todos e deveria dar uma nova perspectiva às vidas profissionais e pessoais, e não desmotiva-las a ponto de fazê-las desistir antes de tentar.

“Lembrar-se de que você irá morrer é o melhor meio que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem alguma coisa a perder. Você já está nu. Não há nenhuma razão para não seguir seu coração”.

“Seu tempo é limitado, então não o perca vivendo a vida de outra pessoa. Não seja preso pelo dogma – que é viver em função dos pensamentos de outros. Não deixe o barulho da opinião alheia tornar a sua voz interior inaudível. E o mais importante, tenha a coragem para seguir seu coração e intuição”.

 

Caro leitor, se assim como eu você também é um apaixonado pela história do homem que revolucionou o mundo da tecnologia, não deixe de curtir, comentar e compartilhar este artigo com seus amigos nas suas redes sociais. Sua opinião vale muito para nós!

 

*Texto adaptado do vídeo do seu discurso na Universidade de Stanford, em 2005.