Apesar da melhoria que o país teve nos últimos meses, é muito provável que nossa recessão econômica se estenda por algum tempo. Isso ocorre porque estamos vivendo uma exaustão do modelo de crescimento baseado em crédito e consumo. O grande desafio nesse modelo, é oferecer algo sustentável e sem “pegadinhas”.

Essa instabilidade tem levado muitas pessoas a me perguntar sobre quais startups podemos lançar com a crise, e como traçar um planejamento que possa ser escalável com tantas adversidades.

Apesar do cenário as vezes parecer desesperador em primeira vista, é só respirar fundo e perceber que até mesmo em uma crise aparecem grandes oportunidades e até costumamos ver o surgimento de novos mercados.

Com esse intuito, estudei as áreas (principalmente de T.I.) que vêm crescendo e recebendo cada vez mais incentivo, seja do governo ou por aceitação do mercado. Confira abaixo:

Educação

Não é novidade para ninguém que a educação no Brasil é um grande problema. Para “ajudar”, nosso governo cortou bilhões em repasses para esta área no nosso país, que particularmente considero a mais importante.crise-no-brasil

A má qualidade de ensino leva as pessoas a buscarem qualificação no ramo privado. Contudo, a falta de tempo tem levado as pessoas cada vez mais a buscarem cursos ONLINE.

Com isso em mente, é um bom ponto de partida para empreendedores que queiram investir nesta área. Porque é nas crises que as pessoas devem se qualificar para conseguir superá-la, faça com que essas pessoas se qualifiquem com o seu produto.

Mercado Imobiliário

Até hoje não existe uma certeza sobre a tão temida “bolha imobiliária”. Tal fenômeno, aliado com a instabilidade do mercado e a alta taxa de juros, têm deixado compradores em estado de alerta.

Apesar da cautela dos investidores, o mercado não para. O engessamento da abordagem tradicional de negociação pode ser um caminho para lançar uma startup.

Há ainda a possibilidade de empresas que invistam no auxílio da reestruturação de contratos e renegociação de dívidas imobiliárias, podendo ainda atuar na revenda desses imóveis.

Mobilidade Urbana

É impossível começar falando dessa área e não lembrar da polêmica do Uber x Taxistas. Mas sim, este é um grande problema que encontramos no Brasil. O serviço precário dos taxistas abriu espaço para novas empresas explorarem o ramo da mobilidade urbana.

As startups que querem entrar nesse ramo devem visar quebrar o paradigma do atividade que escolherem. Podemos colher exemplos do EasyTaxi, Wazy, Uber, Moovit, etc.

Empregos e Recursos Humanos

Com a taxa de desemprego subindo e a qualificação requerida para uma vaga se tornando cada vez mais diferenciada, empresas buscam em startups a solução para o déficit de funcionários capacitados.

Aproveitar o cenário de crise e alta demanda de bons profissionais pode abrir várias portas para um produto inovador que busque satisfazer essa lacuna neste setor da nossa sociedade.

Conectar empregadores a bons empregados é um desafio que o mercado está em busca de resolução.

Saúde

Outro setor que considero dos mais importantes em uma nação que prospera, a saúde vem apresentando uma baixa qualidade no atendimento ao cliente, não necessariamente no serviço. Pois a alta demanda tem feito com que as consultas sejam cada vez mais difíceis de se conseguir.

As startups podem explorar o mercado de agendamento de consultas, exames e prontuários digitais. Tais Iniciativas neste sentido ainda são poucas e pouco exploradas, cabem concorrência e novas ideias.

Outro ponto que pode ser explorado é o mercado de planos de saúde além de praticamente falido, é muito engessado. Uma ideia inovadora pode quebrar o paradigma deste modelo.

E-Commerce

Na rotina agitada e quase sem tempo para passear em shoppings e supermercados, e-commerces surgem com o intuito de minimizar esse ritmo alucinante que encontramos atualmente.

Lojas virtuais que explorem desde comida, roupas, móveis, eletrodomésticos, etc, podem conseguir um crescimento considerável neste período.

MarketPlace

Mercados de MarketPlace ainda engatinham no nosso modelo de mercado, um MarketPlace é uma loja virtual onde se vende bens e serviços. O modelo de negócios é conhecido por conectar diretamente cliente e fornecedor sem participação de intermediários.

Consequentemente ambos têm possibilidade de conseguir valores mais acessíveis e também uma maior margem de lucro.

 

Quer saber mais? Entre em contato conosco pelo nosso formulário de contato e poderemos conversar sobre negócios inovadores e como conseguir um prosperar nesses momentos adversos.

 

Para você que quer empreender, recomendo a leitura dos seguintes textos:

Quanto custa desenvolver um aplicativo?

Verdades e Mentiras sobre investir e desenvolver Startups

Por que investir em Startups?